top of page

AUDIOMETRIA TONAL E VOCAL

A audiometria tonal é um teste que mede a capacidade de ouvir sons de diferentes frequências e intensidades. Durante o teste, sons são apresentados em fones de ouvido e a pessoa deve indicar quando ouve o som. Os resultados são plotados em um gráfico chamado de audiograma, que mostra a audição em diferentes frequências e intensidades.

A audiometria vocal é um teste que avalia a capacidade de ouvir e entender a fala. Durante o teste, palavras são apresentadas em diferentes níveis de intensidade e a pessoa deve repeti-las corretamente. Os resultados são usados para determinar o limiar de inteligibilidade da fala, que é a intensidade mínima em que a fala pode ser entendida corretamente.

IMPEDANCIOMETRIA

A impedanciometria é um teste de audição que avalia a resposta do ouvido médio a variações de pressão no canal auditivo. O teste mede a impedância acústica, ou seja, a resistência do ouvido médio à passagem do som. A impedanciometria é usada para diagnosticar problemas de audição, como perfuração da membrana timpânica, otite média, disfunção da tuba auditiva e tumores do ouvido médio. Também pode ser usada para avaliar a eficácia de tratamentos, como o uso de drenos de ouvido ou a remoção de cera de ouvido.

AVALIAÇÃO DO PROCESSAMENTO AUDITIVO

A avaliação do processamento auditivo é um conjunto de testes que avaliam a capacidade de uma pessoa de processar e entender a informação sonora. O processamento auditivo envolve as habilidades do sistema auditivo central para processar informações auditivas e interpretá-las para que sejam compreendidas.

Os testes de avaliação do processamento auditivo incluem uma variedade de testes, como reconhecimento de fala em diferentes condições de ruído, discriminação de sons, memória auditiva e localização de sons. Esses testes avaliam a capacidade de uma pessoa de detectar, identificar, discriminar, lembrar e entender informações auditivas.

TREINO AUDITIVO ACUSTICAMENTE CONTROLADO

O processamento auditivo é a capacidade do sistema nervoso central de interpretar e compreender as informações recebidas pelo ouvido. É um processo complexo que envolve diversas habilidades, como a capacidade de discriminar, identificar, localizar, reconhecer e compreender sons. O diagnóstico do processamento auditivo pode ser feito por meio de testes específicos, como a avaliação do processamento auditivo central (APAC), que avalia a capacidade da pessoa em entender e processar informações auditivas. O tratamento pode incluir terapia fonoaudiológica, treinamento auditivo e uso de tecnologias assistivas, como amplificadores de som e sistemas de FM.

É importante que o diagnóstico e o tratamento do processamento auditivo sejam realizados precocemente, pois isso pode ter um impacto significativo na qualidade de vida da pessoa e na sua capacidade de se comunicar e interagir com o ambiente ao seu redor.

TRANSTORNOS DO SOM DA FALA

Os transtornos do som da fala são problemas que afetam a produção de sons da fala, tornando-a difícil de entender ou, em alguns casos, ininteligível. Esses transtornos podem ocorrer em qualquer idade e podem ser causados ​​por diversos fatores, incluindo problemas físicos, neurológicos ou emocionais

Os transtornos do som da fala, leitura e escrita são problemas que afetam a comunicação e a alfabetização de uma pessoa. Eles podem ocorrer juntos ou separadamente e são causados por uma variedade de fatores, incluindo problemas neurológicos, emocionais e genéticos.

Alguns exemplos de transtornos do som da fala já foram mencionados na resposta anterior. No que diz respeito aos transtornos de leitura e escrita, os mais comuns são:

  1. Dislexia: é um transtorno que afeta a leitura, a compreensão e a escrita. A dislexia é causada por diferenças na forma como o cérebro processa a informação visual e auditiva.

  2. Disgrafia: é um transtorno que afeta a escrita, a grafia e a ortografia. A disgrafia pode ser causada por problemas de coordenação motora fina, dificuldade em reconhecer letras e sons ou problemas neurológicos.

  3. Disortografia: é um transtorno que afeta a ortografia e a escrita. Pessoas com disortografia têm dificuldade em soletrar palavras e seguir as regras ortográficas.

O tratamento para transtornos do som da fala, leitura e escrita varia de acordo com o tipo e gravidade do transtorno. O tratamento pode incluir terapia de fala, treinamento em leitura e escrita, uso de tecnologias assistivas, como programas de computador e softwares de reconhecimento de voz, e aconselhamento emocional para lidar com a frustração e a ansiedade associadas a esses transtornos. É importante que o tratamento seja individualizado para atender às necessidades específicas de cada pessoa. O diagnóstico precoce e o tratamento adequado podem ajudar a melhorar significativamente a qualidade de vida e a comunicação dessas pessoas.

TERAPIA FONOAUDIÓLOGA 

Os fonoaudiólogos infantis trabalham com crianças de todas as idades, desde recém-nascidos até adolescentes, e podem tratar uma ampla variedade de dificuldades, incluindo atrasos no desenvolvimento da linguagem, problemas de articulação, gagueira, transtornos do espectro autista, distúrbios de aprendizagem e deficiências auditivas.

Os fonoaudiólogos infantis realizam avaliações detalhadas para determinar o tipo e a extensão da dificuldade da criança, e desenvolvem um plano de tratamento individualizado para ajudar a criança a superar suas dificuldades de comunicação e linguagem. O tratamento pode envolver terapia de fala, terapia de linguagem, terapia auditiva-verbal e outras técnicas especializadas para ajudar a criança a melhorar sua comunicação e interação social.

3049282_410199-PD37U2-851_edited.png
bottom of page